Será que existe um crime perfeito?

Um roubo que não seja necessário a violência e que consiga uma quantia de R$ 164,7 milhões? Com certeza é muito dinheiro, por isto para consegui-lo precisaria de muita dedicação, muito trabalho e as pessoas certas para colaborarem. O segundo maior roubo a banco do mundo aconteceu no Banco Central de Fortaleza, em 2005 e acabou virando filme. Os ladrões cavaram um túnel de aproximadamente 80 metros de comprimento para chegarem até o cofre sem utilizarem a violência, apenas a inteligência. “Assalto ao Banco Central”, um filme nacional, lançado em 2011 resolveu recriar este crime nas telonas.

A história mostra a operação que durou cerca de três meses e que os ladrões não precisaram dar um único tiro, não dispararam nenhum alarme e os bandidos saíram pelo túnel carregando toneladas de dinheiro. No filme o responsável pelo roubo foi Barão, sendo interpretado por Milhem Cortaz e para colocar em prática só precisava encontrar pessoas dispostas a receber R$ 2 milhões para realizar o plano. Todos os personagens foram criados para o cinema.

O filme fez tanto sucesso que em 11 dias de estreia já tinha ultrapassado um milhão de espectadores e mais de R$ 10 milhões. O gasto aproximado de produção foi de R$ 6,5 milhões e conseguiram 10% do total por um financiamento pelo governo do Ceará. A receptividade foi grande, além de ser uma produção que lembra filmes internacionais. O roteiro foi muito bem escrito, porque conseguiu captar a atenção do público em todo o momento, os personagens foram bem construídos e demonstra como o dinheiro pode mudar uma pessoa. A história já começa com o roubo, a polícia averiguando o que tinha acontecido e como os ladrões conseguiram levar tanto dinheiro. A partir disso, o roteiro volta para momentos anteriores ao grande dia e consegue mesclar o antes e o depois do roubo. A polícia corre contra o tempo para prender os integrantes do grupo e tentar entender como eles fizeram.

A produtora responsável por recriar este grande evento foi Walkiria Barbosa. As empresas Fox Filmes do Brasil e a Fox International Productions (FIP) cuidaram da distribuição, já a parte de produção ficou pelas mãos da Total Entertainment e coprodução Globo Filmes e Telecine.

Entre a pré-produção até a sua finalização foi necessário dois anos, porém a filmagem durou cinco semanas. As gravações aconteceram em Fortaleza e Rio de Janeiro e para recriar este assalto foi necessário consultorias da Polícia Federal do Brasil, Polícia Rodoviária Federal, Banco Central, geólogos e empresas de segurança bancária, além do suporte da Equipe de coordenação de armamentos. Lima Duarte buscou inspiração nos filmes noir e Giulia Gam se disse fã dos seriados “Law & Order”.

O longa-metragem foi dirigido por Marcos Paulo, que faleceu neste domingo à noite, 11 de novembro, de embolia pulmonar. O ator e diretor, de 61 anos, estava em casa quando isto aconteceu. “Assalto ao banco central” foi o único filme a ser dirigido por ele. Porém, ele marcou muitos trabalhos na televisão como Roque Santeiro e Dancin’ Days. Ele trabalhava na produção de seu segundo filme, “Sequestrados” que seria um thriller policial, com parte de suas cenas gravadas no Amazonas. Alguns atores do primeiro filme se repetiriam neste novo, como Lima Duarte, Milhem Cortaz, Vinícius de Oliveira, Eriberto Leão e Fábio Lago. O “Show da Virada” também tinha como responsável o diretor e a atração seria gravada neste mês, nos dias 27 e 28 de novembro, no Credicard Hall, em São Paulo.

O ator participou também do grande sucesso de bilheteria “Se eu fosse você 2”, fazendo o papel do advogado de Helena (Glória Pires). Marcos Paulo Simões, filho adotivo do novelista Vicente Sesso, nasceu em São Paulo, em 01 de março de 1951 e deixou três filhas: Vanessa, Mariana e Giulia. O Brasil com certeza perdeu um grande ator e diretor. Por isto, dedico esta minha coluna para Marcos Paulo que não tenho dúvidas de que fará falta no ramo artístico brasileiro. E “Assalto ao Banco Central” marcou a produção de cinema nacional, tanto na parte de bilheteria como na qualidade técnica. Um filme que vale a pena conferir.

Segue abaixo o trailer do longa-metragem:

Anaisa Lejambre

Jornalista – Reg. Profissional: 8112/PR

* Fotos retiradas do site oficial.

6 Respostas

  1. Paulo Cesar de Souza Malinoski | Responder

    Viva Marcos Paulo. Um ator e diretor que eu tive a honra de vê-lo atuar. Nunca me esqueço do personagem Gustavo, da novela Quatro por Quatro, entre 1994 e 1995. Um vilão maravilhoso. Quem não se lembra??? Abraço, Marcos Paulo, fica com Deus, meu amigo…

    1. Muito bom ator e diretor. Fará falta no meio artístico. Ele participou de grandes produções para a televisão e para o cinema e é uma pena que ele não terá a oportunidade de finalizar o novo filme “Sequestrados”. E com certeza ele deixou sua marca tanto interpretando grandes personagens como dirigindo programas televisivos.

  2. Parabens pela dinâmica….muito bom!

    1. Obrigada. Fico feliz que tenha gostado.

  3. Homenagem mais do que válida e perfeita abordagem…

    1. Obrigada David, imaginei que você ia gostar. O Brasil perdeu um grande ator e diretor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: