Jardim do medo

PsicoseEm uma noite fria, os pingos de chuva golpeavam a janela, o vento balançava as árvores e a insônia persistia. O quarto estava numa escuridão completa e um ruído forte a fez pular de susto. O que seria? Sozinha em casa, ela se levantou e começou a caminhar silenciosamente. A chuva aumentava lá fora e a respiração falhava. Mais uma vez um barulho forte, aproximou-se da janela e começou a observar o jardim. O medo crescia em cada minuto que passava. De repente, quando menos espera….

Quem nunca assistiu a um filme do gênero? Uma moça sozinha e em casa, escuta um barulho e vai conferir, ao invés de chamar a polícia e começa a gritar antes de morrer ou lutar por sua sobrevivência. Hoje, por ser sexta-feira 13, Página, Câmera e AÇÃO, vai relembrar os grandes filmes de terror e seus remakes. Já foram publicados dois textos e este será o último.

PoltergeistNo texto anterior, citei “A hora do pesadelo”, “Jogos mortais” e “O exorcista”. E uma resenha especial de “Invocação do mal”. Agora vou começar com “Poltergeist – O fenômeno” e aquela cena inesquecível da menina loirinha se aproximando da televisão, enquanto os espíritos estão chamando-a. Um excelente filme para a época e com um roteiro de atrair a atenção do público, o que falta nos filmes atuais. A história se passa com uma família que é visitada por fantasmas, que começam a manifestar-se movendo objetos da casa até sequestrarem a caçula por meio da televisão. Os pais procuram um especialista neste tipo de fenômeno para protegerem seus filhos.

Poltergeist 2O longa-metragem de tirar suspiros de quem assiste e deixá-los com medo de dormir perto de uma televisão, foi produzido e criado pelo ilustre diretor Steven Spielberg, com um gasto aproximado de US$ 10 milhões, teve sua arrecadação total de US$ 122 milhões. O que para a época de 1982, era muito. Como no caso de “O exorcista”, muitas lendas surgiram, de mortes de pessoas que trabalharam no filme. Porém, a da atriz Dominique Dunne, que interpretou a jovem Dana Freeling, morreu no ano de lançamento, asfixiada pelo namorado. Um filme que marcou época, deixará os fãs felizes ou tristes, porque ano que vem será lançado o remake.

A falta de criatividade para filmes do gênero se torna cada dia mais presente e os produtores buscam opções de roteiros antigos para adaptarem com a tecnologia atual. Mas infelizmente, na maior parte das vezes, deixa muito a desejar.

Brinquedo assassinoMas além destes filmes serem atrativos a um estilo de público, nada melhor que assisti-lo ao lado de seu melhor amigo. Não concordam? Entretanto, no caso de Andy, o melhor amigo é um pouco estranho e surreal. O sonho de uma criança pode virar o maior pesadelo quando seu brinquedo predileto cobra vida. A série de filmes de “O brinquedo assassino” tem muito o que falar. Para muitos, não passa de um filme trash, mas temos que admitir que assisti-lo quando crianças pode ser um pesadelo e tanto. Começa a imaginar no quarto seus bonecos cobrando vidas e tentando matá-lo, ou não. Porém, o início da série foi marcada por originalidade e no final, terminou como comédia e totalmente trash. A noiva de Chucky? O filho de Chucky? Como assim? Apesar destes pontos negativos, foi um filme que marcou a história e que logo será lançado o remake. Está na moda refazer os filmes de terror antigos.

Brinquedo assassino 2Agora pense: depois de assistir tantos filmes de terror numa sexta-feira 13, começa a escutar alguns barulhos ou imaginá-los. Você tentando dormir em sua cama, numa escuridão sem fim, com pesadelos atrás de pesadelos. Será que sua casa tem algum espirito? O diretor Oren Peli teve a ideia do filme “Atividade Paranormal“, a partir de uma experiência pessoal. Tanto que foi gravado em sua própria casa. A história se passa com Katie (Katie Featherston) que ouve ruídos estranhos, sussurros e sensações diferentes desde pequena. Já adulta, ao lado de seu namorado cético Micah (Micah Sloat) resolvem gravar tudo o que acontece enquanto eles dormem, para esclarecerem o mistério. Acreditem se quiser, mas vai ter a quinta continuação ano que vem. Um filme muito fraco em termos de história e produção, não alcançando seu principal objetivo: o medo no público.

Atividade paranormalMas alguém deve ter tido medo e assistido, porque continuam a fazer. O que não entendo é o motivo, porque o primeiro foi o que mais arrecadou. E o último foi o que menos conseguiu público, alcançando apenas US$ 138 milhões. Bem que seria uma ótima se parassem de produzir e fossem para uma outra linha de filmes, o que acham?

Agora entro em outro patamar. Para alguns, o suspense é muito melhor que o filme de terror. A música certa, grandes interpretações e o suspense por não saber o que vai acontecer, é o suficiente para alcançar o objetivo de muitos filmes de terror. Por este motivo, nada melhor que citar o mestre do suspense: Alfred Hitchcock. Lembra de “Psicose“, um de seus filmes mais famosos, não tem como não lembrar da cena do chuveiro. E a música colocada Psicose 2neste momento? Perfeita.

O filme custou apenas US$ 800 mil e faturou mais de US$ 40 milhões. Isto para a época de 1960, foi mais do que um sucesso comercial. Hitchcock era tão bom que tem algumas curiosidades em termos técnicos, como o fato de ter escolhido filmar em P&B. Segundo o mestre do suspense, o filme ficaria muito “ensanguentado” se fosse a cores. E o sangue produzido na cena do chuveiro foi calda de chocolate. Humm… que delícia este sangue, não?

E sabia que o som ouvido do facão sendo fincado no corpo de Marion, a personagem principal, é na verdade o som de um facão encravando em um melão. É por estes e outros motivos, que os filmes de terror e suspense antigos acabam superando os atuais. Era necessário ter um bom roteiro e muita criatividade para dar realismo em cena e fazer com que o público tivesse medo. Hoje em dia, acredita-se que tudo será resolvido com efeitos visuais e sonoros. E já foi comprovado muitas vezes que não é assim que funciona.

Depois de relembrar tantos filmes bons, o que você assistirá nesta sexta-feira 13? Vou aproveitar para preparar meus filmes agora e assisti-los à noite. E a desfrutar desta sexta-feira 13, mas não esqueça, não fique sozinha (o) em casa e se escutar um barulho na rua, não saia sem estar em segurança. Porque nunca se sabe quando um Jason ou psicopata pode aparecer. Você não vai querer virar um roteiro de filmes de terror ou vai?

Anaisa Lejambre

Jornalista – Reg. Profissional: 8112 / PR

Contribuição: Analucia Lejambre,

Claudia Maruchi e http://lista10.org.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: