A magia da escrita

Autores e GabiA sensação maravilhosa quando escutamos uma historia pela primeira vez, aqueles contos que escutávamos quando crianças, sendo assim os primeiros contatos com a literatura. Esta magia de palavras conquista cada vez mais adeptos. Os livros infanto-juvenis se tornam cada dia mais importante para a sociedade. É o momento de mostrar para as crianças e adolescentes o quanto a leitura pode ser prazerosa. Para comprovar isto, Gabriela Wegner (15 anos) é responsável pelo clube do livro nas Livrarias Curitiba e neste ultimo encontro trouxe autores e ilustradores para conversar com o público.

DSC_0017Precisa de muita criatividade, imaginação tanto por parte dos escritores como por parte dos leitores. Imaginem uma história de um velho ratinho que para a própria sobrevivência acaba fazendo vários tratos com uma rata preciosa. No primeiro trato trocam comida por jóias e no segundo, mudam a realidade de todos no conto. María Rosana Mestre, é uma escritora Venezuelana que mora há alguns anos no Brasil e resolveu escrever este livro em português e espanhol.

DSC_0006Agora imaginem dois amigos, o Mico Leão e o Macaco Prego que cresceram juntos, formando uma amizade sincera. Porém, tudo fica comprometido quando o pai do Mico Leão proíbe seu filho de andar com o Macaco Prego na Mata dos Macacos. Eles não podiam acreditar, por isto, resolveram organizar o I Encontro Mundial de Macacos, sem imaginar que aquele encontro mostraria o real motivo da proibição. Precisa ter muita imaginação para um livro tratar sobre a ecologia de uma maneira lúdica. Esta é a melhor forma de as crianças aprenderem. Assim, a escritora Alexandra Barcellos escreve sobre o tema do meio ambiente voltado ao público infantil.

DSC_0008Mas este não é o único assunto a ser tratado para educar as crianças de hoje. Luiz Tosin transformou seu problema auditivo em uma lição de vida. Com o livro “Nossas Diferenças” foi criado uma forma de demonstrar as diferenças entre as pessoas, por exemplo: o surdo e o ouvinte, o cego e a pessoa que enxerga e assim por diante. De uma forma criativa, transmite superações de cada um. O livro tem uma coautoria com Marini Fussek, fonoaudióloga.

DSC_0040Já Fábio Gimovski transforma um fenômeno climático simples em algo poético. O autor comenta que qualquer coisa pode gerar uma história, olhar para o lado pode se deparar com um personagem de seu futuro livro. E neste caso ele criou “Um conto de chuva” que narra a história de um inventor da chuva de uma forma poética e segundo Gimovski, apesar de ser considerado infanto-juvenil, também pode ser lido por um público mais adulto.

DSC_0009E com certeza ele não é o único que acredita que qualquer um pode ser personagem de alguém. Ainda mais se for da sua própria família, não concordam? Todos possuem parentes que dariam ótimas personalidades em um conto. Por este motivo Marilza Conceição resolveu criar uma história que representasse um pouco sua vida e a do próprio público. As tão sonhadas férias de verão em família, “As primas” tem como local a praia, em que os dias são repletos de novidades, desde o “marulho” do mar até as carambolas que viram estrelas. Nas viagens imaginárias, há perguntas e respostas para os pequenos mistérios do cotidiano. Crescer é exercitar nossa curiosidade sobre as coisas, como fazem as primas meninas e as primas estrelas.

DSC_0012Mas todos nós sabemos que livros voltados para o público infanto-juvenil, precisam de ILUSTRAÇÕES. Não tem como discordar, por isto Fábio Gimovski ilustrou seu próprio livro e Marcus Matumoto, ilustrou os livros “Trato Feito” e “Nossas diferenças”. E segundo Matumoto é muito divertido ilustrar cada autor, porque você precisa entrar no mundo de cada um, na cabeça e na criatividade, tentando compreendê-los. Sendo um complemento para as palavras escritas.

Realmente, o hábito da leitura permite que venhamos a conhecer muitos mundos em algumas páginas. Novos personagens, novas histórias, um novo aprendizado a cada frase. Parabéns a todos aqueles que dedicam um tempo para colocar em prática uma história e depois chega ao público para que seja apreciado o conto.

Agora os deixo com um vídeo do evento. E depois respondam a seguinte pergunta: Que livro marcou a sua infância? No meu caso foi “A bela adormecida”, sempre gostei muito desta história. O pequeno príncipe é maravilhoso também. E você? Qual foi?

Anaisa Lejambre

Jornalista – Reg. Profissional: 8112 / PR

2 Respostas

  1. Que delícia relembrar os contos infantis que li qdo pequena. Eu amava ler e sonhar com eles. A história que eu mais gostava era Chapeuzinho Vermelho. Estava sempre pronta para salvá-la…hehehe. Tomara as crianças de hoje sonhem ao ler esses contos. Com certeza serão mais felizes. Adorei sua matéria. Bjs Anaísa.

    1. Muito bom relembrar, né?!?! Eu sempre gostei de ler, até antes de aprender a ler, diga-se de passagem… hauhau… O meu pai sempre me contava que eu deitava ao lado da minha mãe, pegava um livro e fingia estar lendo. É maravilhoso. O conto da Chapeuzinho também gostava, muito interessante, como tantos outros contos. Obrigada pelo comentário. Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: